Marcação

A montagem do CONARH começa com a marcação de todo o pavilhão. Acompanhamos a arquiteta responsável pelo evento, que começou a ser montado nesta madrugada:

BE: Qual o nome técnico dessa marcação que vocês fizeram?

Pi: Após o evento estar estruturado, ele é aprovado por órgãos como Corpo de Bombeiros e a própria Expo, dentro de regras de segurança e conforto. Temos três dias para montar 28 mil metros quadrados e precisamos de um planejamento muito acurado. Transferimos a ideia do papel para o físico. É isso que é a marcação do pavilhão. Essa é a base para que o que vem depois seja concluído de forma rápida. Se a base é boa, todo o resto flui de uma forma mais rápida.

BE: E como é feito? Quem colabora com esse trabalho?

Pi: É uma equipe de quatro pessoas, além de uma produtora e a minha supervisão. Caso saia algo errado, temos que achar uma solução rápida. Em até quatro ou cinco horas, temos que estar com tudo pronto. Deixamos tudo perfeito para que a produção possa atuar. O espaço é pensado para a funcionalidade da operação, e a produção agrega mostrando o melhor caminho logístico.

Confira como começa o processo de montagem do Conarh:

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Google+0Share on LinkedIn0