Onde vivem os (insights) monstros

Fico imaginando por onde andam os insights geniais, aqueles que você não consegue nem terminar de explicar, que te arrepia a espinha. Aquele que você sabe enquanto conta ou explica que vai significar muito pra alguém ou pra vários alguéns.

Eu gosto muito de pensar que eles ficam numa sala de espera qualquer do nosso cérebro, só aguardando o momento certo para uma entrada triunfal. E como eles triunfam!

No planejamento, principalmente de ativação, preparamos o terreno pra que o insight venha e triunfe! A parte legal é não ter apego e nem ciúme (ou invejinha) do insight alheio, tem que mergulhar de cabeça na ideia boa e fazê-la ficar melhor ainda da criação, do planejamento, da produção, não importa. Que venha!

Antes de terminar o post passei na Wikipedia pra procurar uma definição para insight e, ao lado de ‘grande ideia’ e ‘revelação’ encontrei o ato ou resultado de aprender a verdadeira natureza das coisas, enxergar intuitivamente’.

Me orgulho por trabalhar ao lado de pessoas intuitivas,  brilhantes e com a sala de espera povoada de insights de tirar o fôlego. Isso torna o trabalho do planejamento ainda mais inspirador.

Pra terminar a minha ode ao insight e ao meu momento emotivo-do-fundo-do-coração, termino Ney Matogrosso e Pedro Luiz e a Parede que como nós, pobres mortais, tem dúvidas sobre o que o inspira:

A inspiração vem de onde?
Pergunta para mim alguém
Repondo talvez de longe

Vem de um gesto preciso
Vem de um amor vem do riso
Vem por alguma razão
Vem pelo sim pelo não

Vem da medida exata
Vêm dentro da tua carta

Vem pela transpiração
A inspiração vem de onde?
De onde?

 

 

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Google+0Share on LinkedIn0