Pride London


Oi gente! Todos já sabem que faltam menos de 20 dias para o início dos jogos, que está tudo pronto, que os ingleses estão preparados, e tudo mais… Vou mudar um pouco de assunto e escrever hoje sobre um outro grande evento (não tão grande quanto os Jogos) que Londres sediou esses dias.

 

No último dia 7 aconteceu a Parada Gay aqui de Londres, ou como chamam aqui a Pride London. Uma das maiores do mundo, a Parada contou com cerca de 1 milhão de ativistas (esse é o termo correto) que marcaram presença num evento extremamente organizado, bem no estilo inglês, o que já demonstra o que vem por aí, e que aconteceu na Trafaulgar Square, no centro da cidade.

E foi muito interessante! Muito diferente da parada que conhecemos aí de São Paulo e de outras cidades do Brasil! Tudo bem, realmente os ingleses não são tão bons em organizar festas. Não foi tão divertido, nem tão colorido, nem tão engraçado. Mas eles são bons de verdade na organização de eventos de grande porte. Foi tudo impecável!

Além do fator organização, segurança, limpeza e programação que tiveram nota 10 na minha opinião, outro fator me chamou a atenção: o propósito da Parada. Muito diferente do Brasil, a coisa aqui teve um ar muito forte de protesto, de reivindicação de direitos e de demonstração de deveres.

Marcaram presença muitos blocos representativos de diferentes categorias da sociedade civil: famílias gays (aqui o casamento gay é permitido e a adoção de crianças por casais homoafetivos também), acadêmicos, jogadores de futebol e atletas de outros esportes, artistas, gays de diferentes países que moram aqui em Londres – no caso do Brasil estávamos em poucos, mas estávamos lá! Ativistas de países onde a conduta homo ainda é motivo de condenação a morte também aproveitaram a vitrine que o evento cria para expressar o desejo de uma sociedade mais compreensiva. E olha que máximo: tivemos um bloco gay composto só por pessoas que farão parte do staff das Olímpiadas! Com faixas dizendo que em Londres eles são aceitos e que o governo os recebe com igualdade de direitos.

 

 

A festa começou por volta das 11 horas da manhã e durou o dia todo. Além dos blocos com mensagens direcionadas e de alguns discursos, a alegria e celebração também estavam presentes com apresentação de DJs, bandas locais e drag-queens caprichadamente fantasiadas.

Um parágrafo a parte para a apresentação da Orquestra Sinfônica de Londres que se apresentou só com seus integrantes gays! Foi bárbaro!

Outra coisa que me chamou a atenção foi a forma com que muitas empresas daqui se fazem presentes nesta causa. Acreditam que algumas delas liberam os funcionários que são gays para participar da Parada?

“Homens-Ambulância” estavam presentes e circulando por todo o evento com mochilões de primeiros socorros prontos para atender qualquer ocorrência. Vestidos com um uniforme verde berrante era fácil achar um deles! Uma área VIP bem no alto da praça foi montada para receber gays cadeirantes. Assim eles não tiveram a visão do evento prejudicada pela multidão.

Depois disso tudo uma grande festa nas ruas do SOHO e na National Galery badalou a noite toda. Foi muito legal mesmo!

Sempre muito legal ver gente do mundo todo, de diferentes culturas e com diferentes formações, mas que infelizmente enfrentam a mesma dureza da discriminação e do preconceito, unidos e protestando por uma vida melhor, sempre com muito respeito e civilidade!

 

Bom, hoje estou indo para Paris, curtir meu aniversario lá. Conto minhas impressões para vocês no próximo post!

E claro, acompanharei tudo sobre as Olimpíadas e vou informando vocês sobre tudo!

Bye bye!

Sheyla.

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Google+0Share on LinkedIn0